[RESENHAS] O amante da princesa

18:03


Maria Amélia de Bragança é princesa do Brasil, prometida a Maximiliano Habsburgo, arquiduque da Áustria. Mas não há nada que ela deseje menos do que esse casamento: como alguém pode querer que ela se case com um homem que nem sequer conhece? O que Amélia não esperava é que seu noivo chegasse ao Palácio das Janelas Verdes, em Lisboa, acompanhado do amigo Klaus Brachmann, um homem charmoso e experiente que se sente compelido a seduzir a princesa apenas pelo prazer da conquista. Uma viagem inesperada que Maximiliano precisa fazer se mostra a oportunidade perfeita para que Klaus ensine uma coisinha ou outra a Amélia entre quatro paredes... E, conforme o jogo avança, a possibilidade de casamento se torna cada vez mais remota para a princesa, que agora precisa proteger seu coração a todo custo.

Desde que a autora, Larissa Siriani, anunciou seu novo livro, fiquei ansiosa para lê-lo. Ainda mais quando soube que ela baseou-se na novela global Novo Mundo, da qual gostei bastante, partindo de dados históricos para elaborar uma ficção que assume os próprios caminhos — de maneira muito similar a como também faz a protagonista do enredo publicado pela Verus Editora.

A protagonista, Princesa Maria Amélia, é daquelas que nos conquistam instantaneamente com seu temperamento. Quando está para (re)encontrar seu futuro marido, o arquiduque austríaco Maximiliano, a ansiedade a invade e nos solidarizamos com sua situação. Eu mesma não consigo me imaginar frente a um casamento arranjado. Sabendo que, em nome do meu país, da minha família, passarei a vida presa a um homem que mal conheço, muito menos amo.

Porém, Maximiliano não vem sozinho. Traz consigo o meu novo crush literário: seu amigo Klaus Brachmann que causa na princesa (e em mim) uma repulsa imediata, devido ao seu comportamento falastrão. 

Com o desenvolver da narrativa, vemos que o tal casamento arranjado enfrentará toda a sorte de empecilhos... o arquiduque, que não se mostra um personagem muito complexo, já está apaixonado por outra e não faz muitos esforços para se conectar com a Princesa. Ao contrário de seu amigo. 

Klaus desenvolve um forte interesse por Amélia e os dois acabam se aproximando, muito mais do que é permitido devido às suas posições sociais e ao noivado.

Se o arquiduque se mostra um personagem linear, Herr Brachmann é o extremo oposto: As transformações que vemos em seu comportamento e seu caráter são surpreendentes. Nos apaixonamos por ele gradativamente, junto com Maria Amélia. A cada encontro deles, a barreira erguida no começo se esvai um pouco mais.

Uma outra personagem bem complexa é a mãe de Maria Amélia,com quem a princesa mora, no Palácio das Janelas Verdes, em Lisboa, Portugal. Ela está sempre mantendo a postura austera esperada por um membro da nobreza, porém, atrás da pose, mascara um grande coração.

A autora, em seu primeiro romance histórico, realmente brinca, através de sua escrita leve, direta e envolvente, com nossos sentimentos. Torcemos, rimos, nos surpreendemos e suspiramos com esse improvável casal. Porém, nada me preparou para o turbilhão de emoções que senti durante a leitura: Ao final do livro, estamos completamente entregues!




Para quem gosta de romances intensos, sensuais e arrebatadores, a história de Klaus e Maria Amélia está mais do que recomendada! Leva o selo Lariteratura de qualidade 💕

Neste domingo terá evento de lançamento de O amante da princesa na Saraiva do Shopping Pátio Paulista! Vamos prestigiar a autora, pegar autógrafos e bater papo 😄 tudo isso regado a sorteios e brindes!! 

Leia também!

0 comentários